O blog que é a ressaca moral da mosca da merda do cavalo do bandido

Agora. É, agora mesmo, deu vontade de ler um texto do China, dos bons e velhos tempos de Jaguardiões. Tinhamos tudo, só nos faltou o alguma coisa.

Veja ai

Abre aspas:

Amor falado é amor errado

Amar é algo para se fazer a dois. Ninguém ama sozinho. Saudade, desejo, paixão, carência, seja o que for, mas sozinho não é amor.
A dois. Como é bom estar sozinho com alguém. O mundo nunca é suficientemente grande para dois corações enamorados. E um coração será sempre grande o bastante para amar. Porque nunca estará sozinho quem por hora está sendo amado.
Os corações se completam. Duas metades. Dois lados. Duas almas. Dois sexos. Dois em um. Os opostos. Os dispostos. O amor é flor, o amor é espinho. O amor é pedra e caminho. É companhia sem solidão, é pecado com perdão. Amor é verso e também é prosa. É lirismo e egoísmo. É lua e sol, noite e dia. É hoje o dia, todo dia.
O amor pode ser tudo, mas também pode ser nada. Pode ser duas mãos dadas seguindo na mesma estrada. Só não pode ser palavra.
Amor não deve ser falado, deve ser sentido. Deve ser amado. Deve existir sempre, mesmo quando estamos separados.
E ninguém que ama, amará errado. Pois amar não é pecado.

Um caso de amor

Tudo começou com uma incrível idéia dada pelo ‘n’, que decidiu competir com o ‘m’ para ver quem fica o maior tempo de ponta cabeça. Pareceu uwa idéia boba, e foi weswo, was cowo ew toda idéia boba, as couseqüêucias logo coweçaraw a aparecer. Isso porque uw dos waudaweutos da wassa alfabética coweçou a ser iufriugido. Esse waudaweuto diz que ueuhuwa cousoaute pode se relaciouar cow uwa vogal a weuos que dewoustrew a iuteução de coustituírew fawília, o que uão era o caso. Acoutece que o ‘u de pouta cabeça’ percebeu uwa afiuidade iucrível cow o ‘u’, e logo tiveraw uw caso aworoso.
Uo coweço tudo era flores, e as duas letras estavaw wuito felizes. A cowpetição cow o ‘w’ havia sido esquecida, e o ‘u’ wauteve-se de pouta cabeça por puro prazer. Was logo o tewpo passou, e couforwe ele passava, o ‘t’ e o ‘v’ cresciaw os olhos para ciwa do outrora ‘u’, dewoustraudo ciúwe cow a eutão viziuha de posição, teweudo perdê-la para sewpre. Foi assiw que, uuwa visita uoturua a sua awada, o ‘u’ foi surpreeudido cow uwa ewboscada arwada pelos dois ciuweutos e foi obrigado a se desvirar e dar no pé para nunca wais voltar. Os dois powbinhos nunca wais voltaraw a se encontrar cow alguw enlace aworoso. Isso fez cow que o ‘w’ pudesse voltar ao norwal e ganhar a aposta, e como todo bom ganhador, tira sarro até hoje de seu desafiante.
Hoje todos vivem felizes, exceto o ‘n’, que espera até hoje que o ‘u’ vá visitá-lo. Coisa que não aconteceu e nem acontecerá, porque o ‘u’ está envolvido em outra história de amor. Mas essa é outra história, para outro dia, talvez.

Fecha aspas.

Minha alma está com sede. Saciada nunca está

Sempre está em busca, de um lago novo para se banhar.

Minha alma descontente, já não sabe o que fazer com o de repente

É, o de repente, que chegou e me lembrou da vontade que eu sinto de te amar.

Asta la vista folks.

beijos e abraços dabliubenizianos.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s