A medida do impossível

A medida do impossível era tentar, e tentei

Não credito a mim glória e nem fama

Não saber a medida do impossível, do improvável e do inesperado

Foi tudo o que eu usei para tentar e tentei.

Não acredito em metade das coisas que digo

Caio em contradição mais de 3 vezes por semana.

Me provocam e eu provoco. Ação e reação. Dualidade. Não da mais.

Donde foram parar aqueles planos? Aonnde foi passear aquele casal feliz que andava de mãos dadas no parque?

Cadê? Se escondeu? Se ainda estiver por aí, tenha a bondade de aparecer.

De alguma maneira, a medida do impossível e ímpossível de se medir. Talvez seja como Deus, que utilizamos para saber a medida e o tamanho dos nossos medos, já dizia Lennon.

Carrego comigo a culpa de calar e o peso de falar. Carrego em mim o fardo amargo disso tudo.

Mas a verdadeira existência compacta, convicta e uniforme, de uma maneira holística e cabalística, depende de haver uma cerveja gelada no final da tarde.

E ponto final mestre.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s