As dores da ressaca

Como todo bom ser humano, este infeliz escritor passa por uma ressaca, neste exato momento. Teorizemos sobre a ressaca: É uma reação extremamente honesta do seu corpo, ora sejamos francos, na noite de ontem eu pouco fui simpático com ele, e andando por essa internet de meu deus eu achei um post ultra-careta, reacionário e conservador do caralho, mas incrivelmente correto, basicamente a mensagem é: Para curar a ressaca, o melhor é não beber tanto. Reproduzirei alguns trechos do post, porque eu mereço, e viva a “cabacisse”.

Não há remédios mágicos universais – a não ser que seu caso seja extremo (e aí é bom ir direto para o hospital), você terá que deixar o seu corpo processar ou colocar para fora o excesso que você ingeriu.

Mas há muitas alternativas que você pode experimentar para acelerar ou tornar mais tolerável o processo. Vamos a algumas delas:

  1. Dilua o álcool: A ressaca está associada a desidratação. No dia seguinte, beba água em abundância, para combater este efeito e acelerar a “lavação” do organismo. Isto vai ajudar a evitar as piores dores de cabeça. Se você tende a usar o velho truque de tomar café para ficar acordado, procure antes por alguma alternativa, afinal ele também é diurético. Ou beba ainda mais água! Sucos de frutas (escolha as menos ácidas) podem ajudar também. Se possível, beba bastante água ou suco de frutas antes de ir deitar, para ajudar a combater os efeitos enquanto dorme. E se você for realmente preventivo, alterne as bebidas alcoólicas com água, suco ou refrigerante durante a noite, para já ir prevenindo e reduzindo o problema.
  2. Coma direito, menino! O bar tende a oferecer salgadinhos, e assim aumenta o desejo de beber. Se você beber ao longo de uma refeição “de verdade”, como uma carne (rica em proteínas), ou uma massa, sempre em quantidades moderadas, é provável que sofra muito menos efeito no dia seguinte, devido à digestão da refeição em paralelo com a absorção de bebida – e menos bebida, porque não houve o efeito de aumento artificial do desejo de beber.
  3. Antes também: Seu avô provavelmente aprendeu que um pão com bastante manteiga antes de beber ajuda a prevenir o porre, e ajuda mesmo. Um bom sanduíche antes de sair já é melhor do que sair de barriga vazia. Tem a ver com a disponibilidade de recursos de processamento na CPU do seu êstomago: se ele não estiver digerindo nada, pode se dedicar integralmente a absorver o álcool. Mas não erre na mão na hora de forrar o estômago, caso contrário, o efeito que você vai causar na hora em que seu estômago resolver colocar tudo para fora será muito mais intensamente colorido.
  4. Use o bom senso: Não misture bebidas diferentes. Não beba se estiver usando medicação ou em tratamento médico. Não beba se estiver enfraquecido. Não dirija se beber!
  5. Colabore com seu estômago: e com todo o sistema digestivo – especialmente o fígado. No dia seguinte, ingerir glicose e frutose (basicamente, doces e frutas) pode ajudar seu corpo a se livrar do álcool mais rapidamente. Evite comidas ácidas, gordurosas ou difíceis de digerir, quando você já estiver de ressaca. Chocolate, café, molhos apimentados, frutas cítricas são exemplos do que você deve evitar. Seu estômago já estará suficientemente ácido. Torradas com mel ou geléia, e um suco de frutas (mas não de laranja ou limão, se puder evitar – muito ácido), podem ser a base de um café da manhã. No almoço, uma sopa de legumes ou uma salada de legumes cozidos. Hora de ser saudável!
  6. Cuidado com a lenda: Não é verdade que ressaca se cura com mais álcool. Pode ajudar a combater os sintomas a curto prazo, e pode ser uma boa desculpa para mais uma cervejinha ao acordar, se você não estiver com ressaca de verdade. Mas se estiver, tomar mais álcool só empurra um pouco mais pra frente o problema – uma hora o nível de álcool no seu organismo vai ter que se reduzir.
  7. Não há desculpa para ser irresponsável: Mas se beber demais mesmo, ou se perceber que um amigo bebeu, a saída para evitar os efeitos ainda mais graves de uma intoxicação por álcool é o pronto-socorro. E se isto estiver virando um hábito, você pode estar a caminho de um problema mais sério, como a dependência ou as doenças do fígado. Se você está lendo o Efetividade para saber como lidar com isto, eis a resposta: procure ajuda profissional hoje mesmo.

Dói, mas precisava ser dito.

O último que sair, apague a luz por favor.

Até a próxima

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s